• Ronaldo Gorga

VITAMINA D DIMINUI OS RISCOS DE CÂNCER E DEPRESSÃO



As pesquisas sobre vitamina D continuam a nos impressionar sobre a importância da exposição solar em nossas vidas. No Brasil temos sorte do sol estar presente o ano todo mesmo com diminuição no inverno porque em muitos países do hemisfério norte o inverno limita a exposição solar em até 6 meses do ano, o que obrigada muitos a utilizar luzes UVB artificial ou obter vitamina D por meio de dietas nesse período.

Os benefícios da exposição aos raios UVB a partir do sol ou luz artificial incluem a produção de oxido nítrico, um composto que reduz a pressão arterial, apesar de seu nome a vitamina D, não é uma vitamina e sim um potente hormônio neuroregulador, o que ajuda a explicar os seus impactos em nossa saúde.

Deficiência de vitamina D vem crescendo cada vez mais no mundo todo, melhorar sua deficiência desta vitamina pode diminuir em 50% o risco de morrer por qualquer causa.

Ela influencia quase 3000 dos 24000 genes, um exemplo de gene regulado por esta vitamina é o que regula nossa capacidade de combater infecções e inflamações crônicas e também produz a catelicidina, um antibiótico que ocorre naturalmente, por isso a vitamina D é tão eficaz contra gripes e resfriados.

Manter os níveis de vitamina regulado pode ajudar na gravidez, melhorar diabetes tipo 1 e 2, diminuir riscos de doenças cardíacas, Alzheimer, autismo e ajuda no combate de infecções bacterianas e virais.

Outro grande beneficio desta vitamina é que pesquisas descobriram que a suplementação de vitamina D reduz tanto a depressão quanto a dor em mulheres diabéticas. No estudo 61% das mulheres relataram dor neuropática e 74% tinham dormência e formigamentos nas extremidades, durante a pesquisa os participantes tomaram vitamina D todas as semanas durante 6 meses, no final do estudo os níveis de depressa das mulheres melhoraram significativamente. Além disso as mulheres que apresentavam dores e formigamentos relataram que esses sintomas diminuíram após a suplementação.

Segundo o cirurgião britânico de câncer de mama, professor Kefah Mokbel, todas as mulheres acima de 20 anos, pois um estudo com mulheres na menopausa que consumiam suplementação de vitamina D mostrou que essas mulheres diminuíram o risco de câncer de mama em até 60%.

Não só é contra o câncer de mama que a vitamina D é eficiente, ela possui efeitos protetores contra vários outros tipos de câncer como, de pâncreas, pulmão, ovário, próstata e pele. As teorias que ligam deficiência de vitamina D ao câncer foram tratadas e confirmadas em mais de 200 estudos epidemiológicos. Um estudo interessante feito nessa área descobriu a sobrevida livre de câncer foi 77% maior entre as mulheres que realizavam suplementação. De acordo com essa pesquisa cerca de 9-% do câncer de mama comum pode estar relacionado a deficiência de vitamina D.

Portanto vimos como a vitamina D é importantíssima para nosso corpo, sempre separe um tempo para tomar sol, de preferência entre as 10 as 15 horas, sempre com protetor solar para receber sua cota de vitamina D diária, se por algum motivo, seja rotina ou lugar onde mora, se você tiver com falta dessa vitamina, procure mais sobre a suplementação de vitamina D. Consumir alimentos que contém vitamina D é outra opção para a obtenção da mesma, alguns dos alimentos com maior índice dessa vitamina é o peixe espada, salmão, atum, bife de fígado, queijo suíço, gema de ovo e iogurtes fortificados com vitamina D.

Se você está ficando doente com frequência, tem dificuldade de cicatrização em machucados, fica cansado muito fácil, tem muita dor muscular e está perdendo cabelos, estes podem ser sintomas de deficiência de vitamina D.


Fale com a gente (11) 97658-4670

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon

Copyright © 2020 Dr. Ronaldo Gorga. Todos os Direitos Reservados