• Ronaldo Gorga

COMO ABAIXAR A PRESSÃO COM ALIMENTAÇÃO



O que você come tem um impacto direto em sua saúde e a qualidade da sua saúde afeta a maneira de como você se sente. A pressão arterial não é um aspecto isolado da saúde, mas sim está ligada com muitas outras funções do corpo. Por isso há alimentos que você deve ficar longe se tem pressão alta e outro que ajudam a diminuir a pressão.

Legumes estão na pequena lista de alimentos que você deve comer mais para naturalmente diminuir sua pressão arterial. Mas certas frutas, com moderação, incluindo nozes e sementes, também têm um lugar para reduzir o risco de não apenas a pressão alta, mas muitas doenças relacionadas, como doença renal, doença cardíaca, derrame e várias formas de demência.

Existe uma dieta para tratar hipertensão que consiste em grande parte de vegetais frescos, frutas, proteína magra, grãos integrais e lacticínios com baixo teor de gordura. Muitas vezes acredita-se que é o aspecto de baixo teor de sódio da dieta que é tão importante, mas esta dieta pode funcionar para alguns principalmente porque é baixa em açúcar / frutose. O mesmo vale para reduzir a ingestão de alimentos processados, o que você fará se seguir a dieta, já que os alimentos processados ​​são as principais fontes de sal e açúcar / frutose altamente processados.

No entanto há planos alimentares melhores que esta acima, especialmente porque grãos integrais e lacticínios não são alimentos que eu recomendo comer. Como por exemplo a dieta do mediterrâneo que é rica em fibras, gorduras saudáveis, minimizando gorduras sintéticas e uma das marcas dessa dieta é ter a ultima refeição do dia bem leve, com algas incluídas.

Uma dieta para combater a pressão alta deve ter potássio, cálcio e magnésio, além de outros alimentos que diminuem o estresse, como a rúcula que é rica nesses 3 elementos e ajuda a relaxar os vasos sanguíneos, reduzindo a pressão arterial.

A rúcula não tem mais potássio em comparação a outros vegetais porem ela ajuda seu corpo a absorve-lo. Os mesmos nutrientes na rúcula também diminuem o risco de derrame e ataque cardíaco, enquanto o folato ajuda no metabolismo ideal dos aminoácidos. Como um vegetal crucífero, a rúcula ajuda a proteger contra o câncer.

Mas não é só a rúcula que faz bem para combater a pressão alta, se você é hipertenso aumente o consumo de:

  • Beterraba: ela na sua forma pura ou em suco ajuda a baixar a pressão arterial devido a presença de nitrato que é convertido em nitrito bioativo e oxido nítrico que por sua vez dilata os vasos sanguíneos. Uma pesquisa mostrou que a beterraba diminui a pressão em apenas 24 horas. Mas devido ao alto teor de açúcar na beterraba eu na recomendaria isso como uma solução a longo prazo.

  • Coentro: O coentro também reduz a pressão arterial pois faz uma interação entre íons de cálcio e colinérgicos, um neurotransmissor no sistema nervoso que ajudam as veias se relaxarem.

  • Pistaches: Comer pistaches, especialmente aqueles em forma crua, é outra maneira deliciosa de diminuir a pressão arterial, reduzindo a resistência vascular periférica, ou o aperto dos vasos sanguíneos, e a sua frequência cardíaca.

  • Azeite de oliva: O azeite combate inflamações e tem inúmeros compostos que reduzem a pressão arterial naturalmente.

  • Linhaça: Um estudo mostrou que ao adicionar 30 gramas de semente de linhaça moída à sua dieta todos os dias , diminuiu a pressão arterial sistólica como a diastólica. Os cientistas observaram que a redução nos níveis de pressão arterial causados ​​pela ingestão de linhaça pode reduzir o número de derrames pela metade e resultar em 30% menos ataques cardíacos.

  • Tomates: Eles ajudam a aliviar a hipertensão, por causa que é rica em potássio e também em licopeno. Porém tome cuidado com o consumo em excesso do tomate.

Além de consumir mais destes alimentos, é necessário diminuir os alimentos que aumentam a pressão arterial, como:

· Açúcar e frutose;

· Alimentos processados;

· Óleos hidrogenados;

#alimentação

Fale com a gente (11) 97658-4670

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon

Copyright © 2020 Dr. Ronaldo Gorga. Todos os Direitos Reservados