CORONAVÍRUS: Pessoas infectadas e sem sintomas



Os sintomas do coronavírus, febre, tosse e falta de ar vem sido divulgados diariamente pela mídia e por organizações da saúde. Mas o que está sendo menos divulgado é sobre o número considerável de pessoas com COVID-19 que são assintomáticos ou seja, não apresentam nenhum sintoma.


Como no Brasil não há um quantidade de testes suficientes para a população inteira, a grande maioria das pessoas que foram testadas apresentavam sintomas, então é difícil afirmar com clareza quantas pessoas já tiveram COVID-19 e quantas se recuperaram, pois nunca mostraram sintomas.


Ainda poucos estudos foram feitos para esse fim, porém em um hospital de Nova York começaram a realizar teste entre as gestantes admitidas para o parto, no período de 1 mês, 215 grávidas foram testadas,13,7% foram assintomáticas.


Pessoas positivas sem sintomas não apresentam risco de saúde, porém acarretam um problema muito grande que é o aumento da taxa de transmissão, muitas pessoas acabam nem sabendo que estão com o coronavírus, assim continuam sua vida normal e consequentemente infectam outras pessoas que podem ou não ser assintomáticas, por isso é tão essencial o uso de máscaras mesmo que você não tenha sintomas algum.


Essas informações mostram para a gente que o número de contaminados com COVID-19 pode ser muito maior que as notícias mostram e sua transmissão mais difícil de conter. Mas por que essas pessoas não tiveram sintomas? Elas já anticorpos contra o coronavírus? Normalmente quando alguém tem uma doença infecciosa, o corpo adquiri imunidade natural, então seria possível muitos já terem desenvolvido-os.


Porém mais estudos devem ser feitos para conseguir entender com clareza como esse vírus age e conseguir controlar essa epidemia. Sabemos que as epidemias seguem um padrão


  1. A fase inicial de acumulação lenta de novas infecções, muitas vezes indetectáveis;

  2. Segunda fase de crescimento rápido em casos de infecção, doença e morte;