Você está acumulando gordura no fígado por isso!




O Excesso de Frutose é a Principal Causa da Esteatose Hepática


Em matéria de alimentação saudável, a primeira coisa a se eliminar é a frutose, o açúcar encontrado em produtos como xarope de milho rico em frutose, sucos de fruta, xarope de agave e mel. Esses produtos fazem mal se consumidos em excesso, algo que muitos norte-americanos (senão a maioria) fazem.

A frutose é, de várias formas, muito similar ao álcool nos danos que pode causar ao corpo e ao fígado. Ao contrário da glicose, que pode ser encontrada em praticamente todas as células do corpo, a frutose só pode ser metabolizada pelo fígado, pois é transportada diretamente para ele.

Toda a frutose é transportada para o fígado. Se você consome uma dieta ocidental, provavelmente ingere grandes quantidades de frutose, o que pode danificar seu fígado da mesma forma que o álcool e as toxinas. Na verdade, a frutose é praticamente idêntica ao álcool no que se refere ao estrago metabólico que ambos causam.

De acordo com o Dr. Robert Lustig, um neuro-endocrinologista da divisão de endocrinologia da Universidade da Califórnia, a frutose é uma "toxina crônica para o fígado, dependendo da dosagem". Assim como o álcool, a frutose é diretamente metabolizada em gordura, não energia celular, como a glicose.

O Dr. Lusting explica as três semelhanças entre a frutose e o bioproduto de sua fermentação, o etanol (álcool):

  1. O metabolismo da frutose no fígado é similar ao do álcool, visto que ambos servem como substratos da conversão de carboidratos em gorduras, promovendo resistência à insulina, dislipidemia (níveis anormais de gordura na corrente sanguínea) e esteatose hepática.