Saiba como não ter mais dores nas costas


Para proteger a saúde das suas costas, fique mais tempo de pé e se movimente mais (e de maneiras corretas)

Duas maneiras eficazes de prevenir a dor lombar estão fortemente relacionadas: se manter ativo e minimizar o período sentado. Ambas aumentarão a força muscular e a coordenação, reduzirão o enrijecimento e melhorarão a circulação sanguínea, o que pode prevenir e reduzir as dores nas costas.

Frequentemente, a dor nas costas é causada pela tensão e desequilíbrio muscular. Por exemplo, permanecer sentado por longos períodos acaba encolhendo os músculos iliopsoas, psoas e quadrado lombar, que conectam a sua região lombar ao topo do fêmur e da pélvis. Quando estes músculos são encolhidos cronicamente, podem causar dores severas ao se levantar, pois eles puxarão a lombar para frente.

Por mantê-los mais equilibrados, você evitará muitas dessas dores e desconfortos comuns. Outras causas comuns da dor lombar são o uso excessivo e o mau uso dos músculos que sustentam a coluna, a baixa força muscular e posturas inadequadas ao permanecer sentado, de pé e ao caminhar.

Por exemplo, quando você caminha com os dedos apontados para fora, os músculos do quadril e lombar tensionam, aumentando o risco de dor lombar. Sentar com os ombros curvados na frente de uma tela de computador estica os músculos da parte superior das costas e aumenta o estresse sobre a lombar, aumentando os riscos de dores na parte superior e inferior das costas.

Caminhar com a cabeça abaixada é outro problema de postura que repercute nas suas costas e quadris, pois sua cabeça é a parte mais pesada do seu corpo, podendo causar desequilíbrios na estrutura corporal. Se a postura inadequada for a responsável, considere fazer alguns exercícios para alongar os ombros, abrir seus flexores do quadril e levantar seu peitoral.

Considere a quiropraxia

A manipulação espinhal por um quiropraxista também pode aliviar a dor nas costas em muitos casos. Em uma metanálise de 26 estudos, a manipulação espinhal foi associada a "benefícios estatisticamente significativos para as dores e funcionamento, com média de magnitude modesta, em até seis semanas".

O pac