Pare agora de consumir refrigerantes!


Riscos Causados à Saúde Pelo Consumo de Refrigerante

A ingestão de latas de refrigerantes doces não é apenas uma questão de consumo de calorias “vazias” que podem levar ao ganho de peso, como algumas organizações de saúde pública querem que você acredite. Você não pode simplesmente desfazer os efeitos do consumo de refrigerante diminuindo as calorias em outras partes de sua alimentação, já que o próprio açúcar causa estragos no seu organismo e em sua flora intestinal.

Os pesquisadores sabem desde a década de 1960 que seu organismo metaboliza diferentes tipos de carboidratos, como glicose e frutose, de maneiras diferentes, causando respostas hormonais e fisiológicas muito diferentes que podem influenciar o acúmulo de gordura e o metabolismo.

Uma lata de 12 onças (354 g) de refrigerante regular possui cerca de 33 gramas de açúcar (8 1/4 colheres de chá) e 36 gramas de carboidratos líquidos, o que é mais do que seu organismo pode suportar com segurança, especialmente em uma sessão.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou que o açúcar deveria ser inferior a 10% da sua ingestão diária total de energia, com benefícios adicionais se você reduzi-lo a menos de 5% (equivalente a 25 gramas ou 6 colheres de chá de açúcar por dia). Para obter-se uma saúde otimizada, recomendo limitar sua ingestão de carboidratos líquidos para menos de 40 a 50 gramas por dia, o que é praticamente impossível se você consumir refrigerante.

Gary Taubes, cofundador da Nutrition Science Initiative (Iniciativa de Nutrição Científica) e autor do “The Case Against Sugar” (O Caso Contra o Açúcar), habilmente documenta a associação do açúcar com doenças crônicas e muito mais, incluindo se o açúcar deve ser mais apropriadamente descrito como droga em vez de alimento.

Ele não causa sintomas imediatos de intoxicação, como tontura, agitação, arrasto de palavras ou euforia, associados a outras "drogas", mas talvez isso só tenha permitido que suas consequências médicas a longo prazo ficassem "sem perguntas e sem respostas".

A maioria de nós hoje nunca saberá se sofremos sintomas sutis da abstinência do açúcar, porque nunca vamos ficar tempo suficiente sem ele para descobrir ”, escreveu Taubes, acrescentando que o açúcar provavelmente matou mais p