Como aumentar a imunidade e evitar o coronavírus e muitas outras doenças



Com a disseminação global do coronavírus, pesquisadores, médicos e cientistas estão focados para encontrar tratamentos e cura para essa nova doença, enquanto isso médicos e outros profissionais estão utilizando as melhores práticas de cuidados com base nos sintomas dos pacientes. Devemos lembrar que não existem tratamentos comprovados para o coronavírus, portanto como podemos melhorar nosso sistema imunológico contra o coronavírus?


No cenário atual o principal tratamento para casos mais graves tem sido cuidados de suporto e oxigenoterapia administrados por ventiladores, para facilitar a respiração. Muitas pessoas buscaram a cloroquina para o tratamento, porém já foram relatados diversos casos de envenenamento, além de que esse medicamento pode causar problemas cardíacos, porém estudos maiores devem ser feitos para garantir que a eficácia seja maior que os efeitos colaterais.


Diante desse cenário, alguns profissionais estão procurando remédios com baixa toxicidade e com alguma eficácia em diferentes cepas de influenza para ver se eles reagem ao COVID-19. No dia 3 de Abril de 2020, o FDA nos Estados Unidos aprovou o uso de anticorpos no plasma doados por sobreviventes de coronavírus para o uso nos pacientes em estado grave.


Este tratamento relativamente simples foi usado mais recentemente para tratar pacientes durante surtos de Ebola e gripe aviária. Mas também salvou inúmeras vidas durante a pandemia de gripe de 1918, quando não havia vacinas ou medicamentos antivirais.

Porém enquanto não há nenhuma solução, o melhor que podemos fazer é seguir todas as recomendações de higiene e o mesmo acontece com nosso interior, o que comemos, como gerenciamos o estresse, atividade física, tudo isso ajuda a melhorar a saúde, para nosso corpo melhorar a resposta a infecção do coronavíus


Sabemos que grande parte das pessoas que estão no grupo de risco sofrem com doenças metabólicas, incluindo doenças cardíacas, pressão alta e diabetes. Pacientes acima do peso podem ter complicações, pois quanto mais pesado, mais os músculos precisam trabalhar para respirar fundo. Outro assunto pouco falado mas importantíssimo é sobre o meio ambiente, durante o surto de SARS em 2003, pessoas infectadas que viviam em áreas de alto níveis de poluição, tinham duas vezes mais chances de morrer em relação a quem vivia em áreas menos poluídas.


Mas então como podemos melhorar nosso sistema imunológico contra o coronavírus para evitar sintomas mais graves? Aqui vão dicas para você proteger seu corpo de dentro para fora.


  • Alimentação


Pela nossa alimentação conseguimos transportar nutrientes para nossas células, assim garantindo um bom funcionamento do organismo. E nosso sistema imunológico tem uma gama de reações que dependem de nutrientes específicos, por tanto uma dieta pobre pode enfraquecer seu sistema imunológico.


Foque em alimentos reais como legumes, verduras e frutas, normalmente são ricos em antioxidantes, polifenóis podem ajudar nosso corpo combater radicais livres, aumentando a imunidade, pois são antiinflamatórios, e demonstraram oferecer proteção contra certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, osteoporose, pancreatite, problemas gastrointestinais, doenças neurodegenerativas e danos nos pulmões.


Outro alimento importante também os probióticos, que sã bactérias benéficas que inibem

espécies invasoras ou patogênicas que é importante para a saúde intestinal, mas a falta dessas bactérias pode aumentar sua vulnerabilidade a vírus, como por exemplo, coronavírus.


Diversidade de "boas 'bactérias" desempenha um papel essencial na resposta imune do corpo à infecção, ajudando-o montar uma resposta robusta a patógenos infecciosos como o coronavírus. A diversidade natural do microbioma pode diminuir com a idade, motivo pelo qual é particularmente importante garantir que nossos idosos estejam se alimentando bem. a melhor forma é comendo alimentos fermentados ou suplementando.


  • Suplementação


Mesmo com uma alimentação saudável, é prudente fazer uma suplementação, pois é muito difícil você receber todos os nutrientes em quantidades necessárias por meio da alimentação. Nesse momento contra o coronavírus, a vitamina D seria um uma ótima opção, pois ela melhora a resposta imune natural do corpo, ajudando-o a combater infecções, incluindo infecções agudas do trato respiratório. Com o isolamento social, estamos tomando menos sol, então suplementar é uma otima opção.


Outra vitamina essencial par suplementar é a vitamina C, a sua atividade antioxidante pode ajudar a prevenir danos nos pulmões induzidos por citocinas, que são pequenas proteínas liberadas pelas células que desencadeiam a inflamação em resposta as infecções.


A vitamina A é pouco falada, é crucial para nossa resposta imune coordenando nossa imunidade inata e adaptativa, suportando o epitélio (que reveste as superfícies externas dos órgãos e vasos sanguíneos por todo o corpo, bem como as superfícies internas das cavidades em muitos órgãos internos) e protege a integridade das membranas mucosas do corpo como no intestino e pulmões, dificultando a infecção.


O zinco é outro suplemento que melhora a imunidade e pesquisas mostraram que ele pode inibir a replicação de um parente do COVID-19, o SARS-COV, a causa do surto de SARS em 2003


  • Controle do estresse

A pandemia tem elevado os níveis de estresse e ansiedade em toda a população, sabemos que quando estamos estressados a capacidade do sistema imunológico de combater infecções é reduzida e também promove a inflamação.


Os efeitos do estresse são diretos, por exemplo, o hormônio corticosteróide, liberado quando estamos estressados, pode suprimir uma resposta imune eficaz, diminuindo o número de linfócitos que combatem infecções que circulam no corpo. Mas eles também podem ser indiretos, por exemplo, interferindo no sono ou estimulando estratégias de enfrentamento comportamentais prejudiciais, como lanches, bebidas e fumo.


Portanto é essencial que você gerencie seu estresse, seja meditando, praticando atividade física, técnicas de respiração, fazer um hobby ou até dormir mais podem ser maneiras de você reduzir o estresse, pois quando dormimos pouco aumentamos o cortisol do sangue.


  • Pratique exercícios físicos


Atividade física libera endorfina, o hormônio da felicidade, atividade física regular pode ser uma ajuda para você dormir melhor e evitar o estresse (dois fatores que ajudam o sistema imunológico). Além disso o exercício aumenta os linfócitos, uma célula que tem função de destruir celular tumorais ou infectadas pelo vírus.



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Fale com a gente (11) 97658-4670

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon

Copyright © 2020 Dr. Ronaldo Gorga. Todos os Direitos Reservados