FRUTOSE: O AÇÚCAR DAS FRUTAS FAZ MAL?



Devemos acordar para o fato que todos os açúcares não são criados igual quando se trata dos resultados físicos finais que eles criam. Por exemplo, a frutose, um açúcar encontrado na maioria dos alimentos processados (geralmente na forma de xarope de milho) ou em frutas naturalmente, ela pode provocar alterações no cérebro que levam a excessos e ganho de peso.


Um estudo mostrou que quando bebemos algo com frutose, o cérebro não registra a sensação de saciedade, como ocorre quando consumimos glicose.

Nosso hipotálamo ajuda a regular os sinais relacionados à fome que envolvem vários hormônios, incluindo insulina, leptina e grelina, quando nos alimentamos corretamente, a atividade na área do cérebro envolvida com recompensa e desejo por comida era suprimida, o que leva uma sensação de saciedade.


Com a frutose não há essa mudança, o desejo e fome continuam. O que significa que quando consumimos frutose, podemos programar nosso corpo consumir mais calorias, consequentemente aumentar seu peso.


Uma parte que torna essa frutose tão prejudicial para a saúde é que ela é metabolizada pelo fígado em gordura muito mais rápido que qualquer outro açúcar. Todo o ônus do metabolismo da frutose recai sobre o fígado e promove gordura visceral. Esse é o tipo de gordura que se acumula ao redor dos órgãos e da região abdominal, estando associada com maior risco de doença cardíaca.


Consumir uma dieta rica em frutose, mesmo que seja proveniente de alimentos naturais, pode ser uma maneira rápida de prejudicar sua saúde. Estudos já vincularam-na com cerca de 30 diferentes doenças e problemas de saúde, como: