A luz azul está causando cegueira


Como nós enxergamos

Sua capacidade de enxergar se dá através de um conjunto de estruturas que ajudam a coletar e enviar informações para o cérebro. Uma dessas estruturas é a mácula, uma pequena área de apenas 2 milímetros de largura, localizada na parte posterior do olho. A mácula se localiza na porção média da retina e é composta por células sensíveis à luz, chamadas cones e bastonetes, as quais são essenciais para a visão central.

A luz passa através da córnea, uma estrutura em forma de cúpula sobre o olho, que a curva através da pupila e a aponta para a lente. A lente focaliza a imagem na retina. O tecido fotossensível chamado célula fotorreceptora na retina ajuda a converter a luz em sinais elétricos, que viajam ao longo do nervo óptico até o cérebro, onde a informação é processada e você "vê".

A luz que passa pelos olhos está em uma gama de raios visíveis e às vezes invisíveis. A luz solar contém raios vermelho, laranja, amarelo, verde e azul, dependendo da energia e comprimento de onda de cada raio individual. Quando combinados, os raios criam luz branca ou luz solar.

Existe uma relação inversa entre o comprimento de onda e a quantidade de energia na onda de luz. Comprimentos de onda relativamente longos têm menos energia e os mais curtos têm mais.

Os raios no espectro da luz visível vermelha têm comprimentos de onda mais longos e menos energia. No entanto, os raios no espectro azul têm comprimentos de onda mais curtos e mais energia. A luz azul geralmente está em uma faixa de 380 a 500 nanômetros.

Sem as células fotorreceptoras na retina, as informações visuais não acionariam uma resposta bioquímica. Essa resposta bioquímica se deve em parte a uma molécula chamada retinol, uma forma de vitamina A. Isto é o que foi estudado pelos pesquisadores da Universidade de Toledo.

A luz azul digital pode acelerar a degeneração macular

Embora o uso de dispositivos móveis seja prolífico entre os adolescentes, a maioria dos adultos gasta mais tempo com seus dispositivos digitais do que imagina. Em uma pesquisa nos EUA, que contou com 1.800 pais de crianças de 8 a 18 anos, os pesquisadores descobriram que os adultos passam em média 9,3 horas por dia na frente de uma variedade de telas digitais.

O estudo da Universidade de Toledo descobriu que a luz azul emitida por eletrônicos digitais pode acelerar a degeneração macular. Segundo os pesquisadores, a luz azul afeta o retinol e resulta na morte de células fotorreceptoras na mácula.

Embora a degeneração macular esteja mais comum nos últimos anos, os pesquisadores descobriram que a luz azul envenena essencialmente as células fotorreceptoras. Kasun Rathnayake, um estudante Ph.D. do grupo de pesquisa, comentou:

"Ela é tóxica. Se você acender uma luz azul na retina, ela mata as células fotorreceptoras à medida que a molécula de sinalização na membrana se dissolve. As células fotorreceptoras não se regeneram no olho. Uma vez que morrem, é para sempre."

Em pesquisas adicionais, e para provar seu argumento, o pesquisador sênior Ajith Karunaratne e sua equipe introduziram moléculas da retina a células cardíacas e de câncer, e depois as expuseram à luz azul. Eles descobriram que nenhuma atividade foi gerada com luz verde, amarela ou vermelha. A luz azul, no entanto, produziu toxicidade, matando qualquer tipo de célula exposta. Karunaratne comentou:

"Todos os anos, mais de 2 milhões de novos casos de degeneração macular relacionada à idade são relatados nos Estados Unidos. Ao aprender mais sobre os mecanismos da cegueira em busca de um método para interceptar as reações tóxicas causadas pela combinação da retina e luz azul, esperamos encontrar uma forma de proteger a visão das crianças que estão crescendo nesse mundo de alta tecnologia."

A retina é essencial para fazer com que as células fotorreceptoras produzam sinais elétricos. No entanto, a retina não se limita ao olho. De fato, ela pode estar presente em todo o corpo, indicando que a toxicidade pode ser mais generalizada do que o estudo analisou.

O que é degeneração macular?

A degeneração macular é um problema que ocorre na retina quando a mácula está danificada. É a principal causa da perda de visão e afeta quase 10 milhões de norte-americanos, mais do que o glaucoma e a catarata combinados. Com a degeneração macular, você perde sua visão central e não consegue ver detalhes, esteja olhando para algo próximo ou distante.

No entanto, sua visão periférica ou lateral permanece intacta. Por exemplo, ao olhar um relógio analógico, você veria os números, mas não os ponteiros. Há dois tipos de degeneração macular, a forma seca e a úmida. A seca é a mais comum, representando quase 80% de todas as pessoas com essa condição.

A forma seca ocorre quando partes da mácula ficam mais finas com a idade e pequenos aglomerados de proteínas obscurecem sua visão. A forma úmida é menos comum, mas muito mais séria. Ela ocorre quando os vasos sanguíneos normais crescem sob a retina, vazando sangue e outros líquidos e causando cicatrizes na mácula e perda mais rápida da visão.

A luz azul inibe a qualidade do sono, que é essencial para a saúde

Estudos também descobriram ligações entre a exposição à luz azul à noite e certos tipos de câncer, diabetes, doenças cardíacas e obesidade. Isso se deve ao fato de que a luz azul à noite reduz a qualidade do sono, inibindo a secreção de melatonina. A maioria das pessoas dorme seis horas ou menos por noite. Isso é verdade até para algumas crianças.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) declarou que a insuficiência do sono é uma epidemia da saúde pública, observando que a condição está associada a uma ampla variedade de problemas para a saúde. Por exemplo, dormir regularmente menos de cinco horas por noite pode dobrar o risco de doenças cardíacas e derrames.

A insuficiência do sono também aumenta o risco de acidentes de carro e outros incidentes relacionados ao trabalho, reduz a capacidade de aprender e pensar criticamente e aumenta o risco de depressão e solidão.

Para ter um sono de qualidade, é importante ficar exposto ao sol no início do dia. Isso permite que a glândula pineal produza melatonina à noite em um contraste aproximado com a quantidade da exposição à luz que você recebeu no início do dia.

Isso significa que, se você passar o dia todo no escuro, seu corpo não saberá a diferença e não otimiza a produção de melatonina, que é essencial para um sono de qualidade. Por outro lado, é importante evitar a luz azul à noite, pois ela impede a produção de melatonina.

Seu cérebro começa a aumentar progressivamente a produção de melatonina por volta das 21 horas, marcando sua fase circadiana ou do relógio biológico. Em outras palavras, esse hormônio influencia a hora do dia ou da noite que seu corpo pensa que é, independentemente do que o relógio diz. A melatonina também é um antioxidante para as mitocôndrias, ajudando a reduzir o risco de câncer.

A vitamina E pode reduzir os danos causados pela luz azul

Curiosamente, os pesquisadores do estudo apresentado descobriram que o alfa-tocoferol, um derivado da vitamina E, impediu que as fotocélulas e outras células morressem quando expostas à luz azul. No entanto, o processo se torna menos eficiente com a idade e à medida que o sistema imunológico enfraquece.

Dados revelaram que a vitamina E pode desempenhar um papel significativo como regulador da transdução de sinal, expressão gênica e sensor redox, minimizando os danos cerebrais relacionados ao estresse oxidativo. A vitamina E de ocorrência natural existe em oito formas químicas, das quais o alfa-tocoferol é uma delas.

A concentração sérica (sangue) depende da função do fígado, que recebe o nutriente após a absorção no intestino. O corpo usa preferencialmente alfa-tocoferol, atuando como um antioxidante de quebra de cadeia. Estima-se que quase 90% dos norte-americanos não atende à ingestão diária recomendada de 15 miligramas por dia.

Reduza seu risco de degeneração macular

Bloquear a luz azul pode ajudar a reduzir o risco e melhorar o sono. Além de consumir alimentos ricos em vitamina E, existem outras estratégias que você pode considerar para reduzir o risco de degeneração macular.

  • Óculos que bloqueiam a luz azul — O bloqueio da luz azul ajuda a regular o relógio interno para controlar os padrões de sono e reduz o efeito negativo que os comprimentos de onda de alta energia têm na sua mácula. Uma das formas mais baratas e simples de conseguir isso é usando óculos que bloqueiam a luz azul após as 19 horas. Se você usa um dispositivo digital de forma consistente durante o dia, considere usar os óculos todos os dias após o meio-dia.

  • Instale um software de bloqueio de luz azul nos seus dispositivos digitais — O Iris é o melhor disponível e eu já o utilizo há anos. Caso use o Íris à noite, não precisará de óculos protetores.

  • Substitua as luzes de LED por lâmpadas incandescentes — A iluminação de LED é obrigatória nos EUA e em grande parte da Europa para economizar energia, mas o impacto biológico é significativo. Infelizmente, muitas das luzes de LED vendidas hoje emitem uma grande quantidade de luz azul. Descubra como identificar uma iluminação de LED mais saudável no meu artigo anterior, "Como a iluminação de LED pode comprometer sua saúde".

  • Durma na escuridão total — Proteger os olhos da luz durante a noite, independente da intensidade da exposição, ajudará você a ter um sono mais profundo e restaurador. Considere dormir com uma máscara, remover todos os objetos emissores de luz do seu quarto e usar persianas que escurecem o ambiente.

  • Consuma alimentos que protegem a visão — Você pode ajudar a proteger sua visão consumindo alimentos ricos em nutrientes. O ômega-3 ajuda a melhorar a estrutura celular e protege a visão, enquanto os alimentos integrais ricos em antocianinas e flavonoides ajudam a proteger as células dos danos causados pelos radicais livres. Descubra os alimentos de que seu corpo precisa para proteger sua visão no meu artigo "Coma direito de proteger sua visão".

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Fale com a gente (11) 97658-4670

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Social Icon

Copyright © 2020 Dr. Ronaldo Gorga. Todos os Direitos Reservados