A fadiga das glândulas suprarrenais e sua importância


A Função Plena de Suas Glândulas Suprarrenais

Seu corpo tem duas glândulas suprarrenais, localizadas logo acima de cada um de seus rins. Como parte de seu sistema endócrino, suas glândulas suprarrenais secretam mais de 50 hormônios, muitos dos quais são essenciais para a vida e incluem:

· Glucocorticóides - entre eles o cortisol, ajudam seu corpo a transformar alimentos em energia, normalizar o açúcar no sangue, responder ao estresse e manter a resposta inflamatória do sistema imunológico.

· Mineralocorticóides - que incluem aldosterona, ajudam a manter a sua pressão arterial e volume do sangue normal, mantendo um equilíbrio adequado de sódio, potássio e água em seu corpo.

· Adrenalina - aumenta a frequência cardíaca e controla o fluxo sanguíneo para os músculos e o cérebro, além de ajudar na conversão do glicogênio em glicose no fígado.

Juntos, esses hormônios e outros produzidos por suas glândulas suprarrenais controlam funções corporais como:

· Manutenção de processos metabólicos, como manter o controle dos níveis de açúcar no sangue e a regulação da inflamação

· Regulação do equilíbrio de sal e água no corpo

· Controle de sua resposta de "luta ou fuga" ao estresse

· Manutenção da gravidez

· controle da maturação sexual durante a infância e puberdade

· Produção de esteróides sexuais, como estrogênio e testosterona

Ironicamente, embora suas glândulas suprarrenais estejam aí, em grande parte, para ajudá-lo a lidar com o estresse, um excesso deste é o que faz com que a função delas quebre.

Em outras palavras, uma das tarefas mais importantes de suas glândulas suprarrenais é fazer com que seu corpo fique pronto para sua resposta de "luta ou fuga" ao estresse, o que significa aumentar a adrenalina e outros hormônios.

Como parte dessa resposta, sua frequência cardíaca aumenta, sua digestão diminui e seu corpo fica pronto para enfrentar uma ameaça ou desafio em potencial.

Embora esta resposta seja necessária e boa quando útil, muitos de nós somos constantemente confrontados com estressores (trabalho, toxinas ambientais, sono insuficiente, preocupação, problemas de relacionamento e outros) e, portanto, estamos neste modo de "luta ou fuga" por muito tempo -- muito mais tempo do que se pretendia de um ponto de vista biológico.

O resultado é que suas glândulas suprarrenais, confrontadas com estresse e carga excessiva, ficam sobrecarregadas e fatigadas. Alguns fatores comuns que colocam excesso de estresse em suas suprarrenais são:

· Raiva, medo, ansiedade, culpa, depressão e outras emoções negativas

· Excesso de trabalho, incluindo a tensão física ou mental

· Exercício excessivo

· Privação de sono

· Interrupção do ciclo de luz (como trabalhar no turno da noite ou muitas vezes dormir tarde)

· Cirurgia, trauma ou lesão

· Inflamação crônica, infecção, doença ou dor

· Temperaturas extremas

· Exposição a substâncias tóxicas

· Deficiências nutricionais e / ou alergias graves

Sinais e Sintomas da Fadiga Adrenal

Quando suas glândulas suprarrenais ficam esgotadas, isso leva a uma diminuição de certos níveis hormonais, particularmente do cortisol. As deficiências em certos hormônios suprarrenais irão variar em cada caso.

Em sua forma mais extrema, isso é conhecido como doença de Addison, uma condição que causa fraqueza muscular, perda de peso, pressão arterial baixa e baixos níveis de açúcar no sangue, e que pode ser fatal.

Felizmente, apenas cerca de quatro pessoas em 100.000 desenvolvem a doença de Addison, que é causada por uma doença autoimune na maioria dos casos, mas também pode se desenvolver após um estresse muito grave.

Os sinais e sintomas clássicos da fadiga adrenal incluem:

· Fadiga e fraqueza, especialmente de manhã e à tarde

· Um sistema imunológico suprimido

· Aumento das alergias

· Perda muscular e óssea e fraqueza muscular

· Depressão

· Desejo por alimentos ricos em sal, açúcar ou gordura

· Desequilíbrio hormonal

· Problemas de pele

· Doenças autoimunes

· Sintomas aumentados de TPM ou menopausa

· Baixa libido

· Tonturas ao se levantar quando se estava antes sentado ou deitado

· Diminuição da capacidade de lidar com o estresse

· Problemas ao acordar de manhã, apesar de uma noite de sono completa

· Pouca memória

Além disso, as pessoas com fadiga adrenal muitas vezes recebem uma explosão de energia em torno das 18 horas, seguida de sonolência às 21 ou 22 horas, à qual muitas vezes se resiste. Um "segundo fôlego" às 23 horas é então algo comum, o que muitas vezes pode impedi-lo de adormecer até a 1 da manhã.

Além disso, aqueles com fadiga adrenal muitas vezes também têm níveis anormais de açúcar no sangue e distúrbios mentais, como o aumento dos medos e ansiedade, e dependem de café, refrigerante e outras formas de cafeína para mantê-los de pé.

Como os nomes sugerem, o sintoma mais comum da fadiga adrenal é uma fadiga implacável, uma sensação de ter sido atropelado ou não ser capaz de acompanhar suas demandas diárias. E como a fadiga é um sintoma tão comum, a síndrome é muitas vezes negligenciada ou diagnosticada erroneamente por médicos.

O Exame Médico Comum Para a Função Adrenal Não Pode Diagnosticar A Fadiga Adrenal

Adicional ao problema de diagnóstico errôneo é o fato de que os doutores tipicamente usam um teste de ACTH (hormônio adrenocorticotrófico) para verificar se há problemas com suas glândulas suprarrenais. No entanto, o teste só reconhece a subprodução ou superprodução extrema dos níveis hormonais, como mostrado pela parte superior e inferior em 2 por cento de uma curva sinusoidal.

Entretanto, os sintomas da disfunção adrenal só ocorrem após 15% da média em ambos os lados da curva. Assim, suas glândulas supra renais podem estar funcionando 20 por cento abaixo da média, e seu corpo experimentando sintomas de fadiga adrenal, e o exame padrão não vai reconhecê-lo.

O exame que irá reconhecer a fadiga adrenal, em todas as suas fases, é um teste de co