• Ronaldo Gorga

Um estudo sobre a vitamina K2 mostra que melhora a saúde cardiovascular


A vitamina K é uma vitamina lipossolúvel que tem uma influência significativa na sua saúde. No entanto, muitas pessoas não recebem vitamina K suficiente em sua dieta. Como seu corpo armazena muito pouco, ele se esgota rapidamente sem consumo regular. Especialistas realizaram um estudo onde pessoas cuja dieta era rica em vitamina K2 tinham um risco 34% menor de qualquer doença cardíaca relacionada à aterosclerose.


Medicamentos comuns podem esgotar seu estoque de vitamina K, por isso é ainda mais importante observar o que você come. As vitaminas naturais são a vitamina K1 (também chamada de filoquinona) e a vitamina K2 (também chamada de menaquinona).


A vitamina K1 é encontrada em plantas de folhas verdes e é mais conhecida por seu papel na coagulação do sangue. A vitamina K2 é derivada principalmente de alimentos fermentados e produtos de origem animal, como ovos, fígado e carne. A vitamina K2 é importante para a produção e utilização de hormônios, bem como para a saúde dos ossos e do coração.



As diferentes formas de vitamina K2


Existem também diferentes formas de vitamina K2, que podem ser confusas. Vamos dar uma olhada nos conceitos básicos, suas funções e principais fontes conhecidas:


  • Vitamina K2 (menaquinona): As menaquinonas desempenham um papel importante na saúde dos ossos e do coração. Dentro do corpo, certas bactérias intestinais são responsáveis ​​por sintetizar a vitamina K2. Existem vários subtipos de K2, que são nomeados pelo comprimento da cadeia. Eles são designados de MK-4 a MK-13. Dois dos mais comuns que você encontrará são:


◦ Menaquinona-4 (MK-4): A forma de cadeia curta da vitamina K2 encontrada em produtos de origem animal, como carne, ovos, fígado e laticínios. No entanto, é a fonte que importa. Por exemplo, produtos de origem animal de criação industrial não são ricos em MK-4 e devem ser evitados. Apenas animais alimentados com capim (não alimentados com grãos) desenvolverão níveis naturalmente altos.


O MK-4 tem uma vida biológica curta, o que o torna um candidato ruim para um suplemento dietético. No entanto, o MK-4 dos alimentos é importante para uma boa saúde, pois desempenha um papel na expressão gênica. Por exemplo, se foi encontrado para reduzir o risco de câncer de fígado.


◦Menaquinona-7 (MK-7): A vitamina K2 de cadeia mais longa é encontrada em alimentos fermentados, como chucrute, certos queijos e natto. Esta é a que deve ser procurada em suplementos, pois essa forma é extraída de alimentos reais , especificamente natto, um produto fermentado de soja. Se você escolher isso como alimento ou suplemento, certifique-se de que a soja da qual é derivado é 100% orgânica.


MK-7 é produzido por bactérias específicas durante a fermentação. No entanto, nem todas as cepas de bactérias o produzem, portanto, nem todos os alimentos fermentados o fornecem. A maioria dos iogurtes comerciais, por exemplo, carece de vitamina K2. Enquanto certos tipos de queijo, como Gouda, Brie e Edam, são ricos em K2, outros não.



Uma das melhores maneiras de garantir que uma boa fonte de vitamina K2 seja completamente orgânica é fermentar seus próprios vegetais usando uma cultura inicial especial com cepas bacterianas que produzem vitamina K2. O MK-7 formado no processo de fermentação tem duas vantagens principais: permanece no corpo por mais tempo e tem uma meia-vida mais longa que o MK-4.9


O MK-7 demonstrou ajudar a prevenir a inflamação, inibindo marcadores pró-inflamatórios que podem causar doenças autoimunes, como a artrite reumatóide. E, embora a vitamina K1 tenha demonstrado reduzir modestamente o risco de fraturas ósseas, o MK-7 é mais eficaz do que a vitamina K1 para alcançar e proteger os ossos.



Vitamina K2 reduz o risco de doença cardíaca aterosclerótica


Pesquisadores da Edith Cowan University publicaram um estudo de coorte prospectivo no Journal of the American Heart Association em agosto de 2021. Eles envolveram participantes inscritos no Estudo Dinamarquês de Dieta, Câncer e Saúde e os acompanharam por um período de 23 anos.


Os pesquisadores escolheram pessoas sem histórico de aterosclerose cardiovascular (ASCVD). Os participantes preencheram um questionário de frequência alimentar e foram acompanhados por quaisquer internações hospitalares relacionadas à ASCVD, como doença cardíaca isquêmica, acidente vascular cerebral isquêmico ou doença arterial periférica.


Depois de estimar a ingestão dietética de vitamina K1 e vitamina K2 dos participantes do questionário, eles descobriram que aqueles com uma dieta rica em vitamina K tinham um risco 34% menor de qualquer doença cardiovascular relacionada à aterosclerose. Os dados foram coletados de 53.372 pessoas e os dados foram separados para medir os fatores de risco naqueles com maior ingestão de vitamina K1 e vitamina K2.


Em comparação com aqueles com baixa ingestão, aqueles com maior ingestão de vitamina K1 tiveram um risco 21% menor de serem hospitalizados por problemas relacionados ao ASCVD.


Quando os dados da vitamina K2 foram separados, eles descobriram que aqueles com maior ingestão tinham um risco 14% menor de serem hospitalizados por doenças relacionadas ao ASCVD do que aqueles cuja dieta era pobre em vitamina K2.




Como cuidar da sua primeira linha de defesa


Se você for usar um suplemento de vitamina K2, é melhor usar o MK-7, pois o MK-4 tem vida biológica curta. Em vez disso, procure produtos alimentados com capim, que são ricos em MK-4 e MK-7.


Eu acrescentaria também tomar quercetina com zinco, pois é um ionóforo que ajuda o zinco a entrar na célula onde tem atividade antiviral. Durma o suficiente e saia para se exercitar para que você possa usufruir de uma boa saúde.


Eu também destacaria cuidar do seu microbioma intestinal para proteger seu sistema imunológico e sua saúde geral. Uma maneira importante de ajudar o intestino é comendo alimentos fermentados. As culturas iniciais podem manipular o resultado, portanto, fermentar seus próprios vegetais em casa com um iniciador de alta qualidade rico em vitamina K2 pode melhorar o conteúdo vitamínico e afetar as colônias bacterianas.


Dar às bactérias benéficas os nutrientes de que precisam para sobreviver e prosperar é tão importante quanto comer alimentos ricos em probióticos. Procure comer alimentos ricos em fibras, que alimentam o microbioma intestinal. Além disso, há evidências significativas de que a fibra também ajuda a proteger a saúde do coração, usando um caminho diferente da vitamina K2.


A mensagem é que você precisa prestar atenção ao seu nível de vitamina D, os alimentos que você come, quanto você dorme e certifique-se de fazer bastante exercício. Essas são as estratégias fundamentais que afetam seu microbioma intestinal, sistema imunológico, saúde do coração e ajudarão a protegê-lo contra qualquer infecção viral.




FONTES E REFERÊNCIAS