• Ronaldo Gorga

Estratégias naturais para impulsionar seu sistema imunológico


Porque a saúde imunológica é uma parte crucial do seu bem-estar?

O sistema imunológico costuma ser dividido em duas categorias: o inato e o adaptativo. Ambos têm suas áreas especializadas de proteção do corpo.

Seu sistema imunológico inato se refere às defesas do seu corpo contra todos os germes e substâncias estranhas com as quais ele não está familiarizado. Muitas vezes é considerado o sistema imunológico “não específico”, pois atua de forma rápida e eficiente, destruindo bactérias em poucas horas. No entanto, é responsável apenas por impedir que substâncias estranhas e toxinas atravessem a pele e as membranas mucosas para a corrente sanguínea.

Assim que conseguem penetrar, proteínas e enzimas são liberadas pelo sistema imunológico inato para marcar as toxinas e ativar as células especializadas que identificam infecções por vírus.

O segundo tipo é o sistema imunológico adaptativo, que assume o controle quando o sistema imunológico inato é incapaz de destruir o que está causando a infecção. Ao contrário do sistema imunológico inato, o sistema imunológico adaptativo requer um pouco mais de tempo para identificar e direcionar a infecção, mas é melhor porque ele “se lembra” das substâncias estranhas, o que permite ele construir imunidade ao longo do tempo. O sistema imune adaptativo consiste em três tipos de células: os linfócitos T, os linfócitos B e os anticorpos.

Embora seu corpo seja equipado com suprimentos adequados de vitaminas e minerais de que seu sistema imunológico necessita, envelhecimento, doenças, uma dieta inadequada e escolhas inadequadas de estilo de vida podem comprometer sua imunidade. Isso torna necessário que você saiba como reforçar sua imunidade de todas as maneiras possíveis.

Vitaminas e minerais que aumentam sua resposta imunológica

Quando se trata de fortalecer o sistema imunológico, as primeiras coisas que vêm à mente são vitaminas e minerais, que são os blocos de construção e catalisadores eficazes para uma imunidade forte. Mas uma vitamina se destaca quando se trata de estimular o sistema imunológico: a vitamina C. Também conhecido como ácido ascórbico, é um nutriente crucial para vários processos e vias corporais, como a biossíntese de colágeno, absorção de ferro, estabilização de vitamina E e neutralização de radicais livres.

No entanto, embora a vitamina C seja bem conhecida por seus efeitos sobre a função imunológica, os estudos agora mostram que outros nutrientes importantes desempenham papéis cruciais na manutenção das defesas do corpo, incluindo:

Vitamina D — Em uma entrevista com James DiNicolantonio, Pharm.D., e o estimado biohacker Siim Land, ambos concordaram que a vitamina D pode ser a mais importante quando se trata de promover a imunidade, conseguindo ativar mais de 2.000 genes. Isso inclui genes que facilitam o reparo de genes e a produção de peptídeos antimicrobianos e antivirais.

A importância da vitamina D para a saúde imunológica foi comprovada várias vezes, a mais recente delas na pandemia de COVID-19. Em um estudo espanhol de 2021, os pesquisadores descobriram que a suplementação com vitamina D3 (calcifedol) para pacientes hospitalizados com COVID ajudou a reduzir as admissões na UTI em até 82% e as mortes em até 64%. Pessoas que tinham níveis otimizados de vitamina D também tinham 60% menos probabilidade de morrer da doença.


Magnésio — Embora a vitamina D seja formidável por si só, ela não pode ser convertida em sua forma ativa sem magnésio. De acordo com DiNicolantonio, baixos níveis de magnésio em células natural killer (NK) e células T-killer CD8 são indicativos de um sistema imunológico fraco. Pessoas com baixo teor de magnésio também têm um risco maior de ativação crônica de Epstein-Barr, bem como um risco maior de desenvolver linfoma.

Além disso, o magnésio também figura em mais de 300 reações enzimáticas, tornando-se um componente crucial para as vias metabólicas, incluindo a síntese de ATP, contração muscular, função nervosa e controle da glicose no sangue.


Selênio — Este mineral desempenha um papel importante na inibição da replicação e mutação do vírus de RNA, o que o torna um dos nutrientes essenciais necessários para deter infecções virais na raiz. Além disso, níveis baixos de selênio ou deficiências de selênio podem levar a um sistema imunológico comprometido, pois este mineral figura na síntese de mais de 24 proteínas necessárias para combater infecções e danos oxidativos.


Zinco — Essencial para a regulação de mais de 100 enzimas e função imunológica, o zinco foi investigado por sua eficácia em encurtar a duração do resfriado comum em cerca de 33%. Este mineral também pode desempenhar um papel na promoção do crescimento e desenvolvimento, com o trabalho pioneiro da Dra. Ananda Prasad mostrando o efeito do zinco na imunidade, retardo de crescimento e deficiência cognitiva.


Beta-Glucanos — Apesar de serem esquecidos, os suplementos de beta-glucanos são úteis para estimular o sistema imunológico e reduzir o risco de doenças infecciosas e até mesmo de câncer. Se você estiver procurando por fontes de beta-glucanos, seus suplementos estão disponíveis em lojas de produtos naturais, embora os beta-glucanos também sejam abundantes em cogumelos, fermento de padeiro e algas marinhas.


Vitaminas B — Elas podem ajudar a reduzir os níveis de citocinas pró-inflamatórias, melhorar a função respiratória e encurtar o tempo de internação hospitalar. Em “Be Well: O Potencial papel da vitamina D na COVID-19”, os autores elogiam a vitamina B por seu efeito na redução potencial dos sintomas da COVID-19 e na melhoria da competência imunológica.


Fortaleça seu sistema imunológico inato por meio de células NK

Seu sistema imunológico funciona através de diferentes tipos de células, desde os neutrófilos até as células do sangue. Um tipo importante são as células assassinas naturais, ou células NK, que estão envolvidas na luta contra doenças virais, condições crônicas e doenças auto-imunes. As células NK podem até controlar a disseminação das células cancerosas e impedir o dano subsequente ao tecido que elas podem causar.

Suas células NK perdem sua potência com o envelhecimento, tornando você mais suscetível a doenças e infecções virais, como a gripe. Para revitalizar suas células NK, aqui estão algumas dicas que você pode seguir:

•Faça exercícios de maneira regular — Em um estudo de 2016 da Trends in Molecular Medicine, os pesquisadores observaram que as células NK são as que mais respondem à atividade física, com exercício mediando um aumento na atividade das mesmas, contra a proliferação de células cancerosas.

•Pare de fumar — O tabagismo tem sido associado a um risco elevado de morbidade e mortalidade, devido aos seus efeitos maliciosos no corpo humano, incluindo entre eles, uma menor eficácia das células NK. Não só prejudica a integridade estrutural do sistema respiratório, mas também altera o funcionamento das células imunológicas.

•Acrescente cardamomo e pimenta-do-reino em sua dieta — Essas especiarias auxiliam no aumento de atividade citotóxica das células NK e também promovem uma função imunológica saudável através de suas propriedades antioxidantes e antimicrobianas.

•Consiga probióticos — Bactérias benéficas encontradas em alimentos fermentados, que podem ajudar no aumento da atividade das células NK em pessoas com baixa contagem das mesmas.

•Tome ginseng fermentado — O Panax ginseng aumenta a atividade das células NK, além de provocar um aumento da produção de citocinas, que diminuem a inflamação devido a um polissacarídeo chamado ginsan.

Estratégias de estilo de vida adicionais para fortalecer seu sistema imunológico

Além de aperfeiçoar seus níveis de vitaminas adicionando ervas e especiarias moduladoras do sistema imunológico à sua dieta, você também deve considerar mudanças no estilo de vida que podem melhorar ainda mais sua função imunológica. Lembre-se de que seu corpo requer mais do que apenas uma dieta otimizada. Aqui estão algumas mudanças no estilo de vida que você deve considerar:

•Melhore a qualidade do seu sono — O sono é uma das bases da regeneração, com o seu corpo necessitando de descanso suficiente para desencadear com eficácia os processos de reparação nas células e tecidos. As pessoas não têm o habito de dormirem o suficiente, isso pode comprometer o sistema imunológico.

•Controle sua exposição ao sol — A exposição ao sol é importante para promover a produção de vitamina D em nossa pele, que é uma vitamina essencial para a cognição, regulação da pressão arterial e reparo musculoesquelético. A exposição ao sol tem sido associada a uma melhor função imunológica por seu papel na produção de peróxido de hidrogênio no corpo, aumentando a atividade e a motilidade dos linfócitos T na pele.

Porém, as pessoas acreditam que a luz solar é prejudicial e que a exposição pode levar ao câncer de pele, trazendo assim uma deficiência de vitamina D e a uma cascata de doenças. Permaneça no sol até que sua pele fique um pouco rosada. Você também deve evitar a aplicação de protetor solar se não for necessário, pois costumam conter toxinas e produtos químicos prejudiciais, como o benzeno e oxibenzona, que podem fazer muito mal.

•Acalme sua mente com meditação e massagem linfática — A meditação é uma prática de bem-estar que promove relaxamento e tranquilidade. Foi observado que diminui a pressão arterial, as frequências cardíaca e respiratória e altera as regiões corticais e subcorticais do cérebro. A redução da pressão arterial, então, leva à expressão gênica de 1.771 genes ligados às vias de regulação imunológica, metabolismo, saúde cardiovascular e ritmo circadiano.

A massagem linfática é outra maneira de melhorar sua resposta imunológica, com uma massagem sueca de 45 minutos que mostra um aumento dramático nos linfócitos circulantes. A massagem de drenagem linfática envolve técnicas de massagem suaves que estimulam a drenagem da linfa das áreas obstruídas, promovendo a circulação linfática.