top of page
  • Foto do escritorRonaldo Gorga

Esta é uma das piores bebidas para a saúde dos rins



Os rins, dois órgãos em forma de feijão, estão localizados logo abaixo da caixa torácica, um de cada lado da coluna vertebral. As glândulas supra-renais estão localizadas no topo de cada rim. A cada dia, os rins filtram até 150 litros de sangue e removem os resíduos pela urina.

Uma das razões pelas quais você precisa beber bastante água é garantir uma função renal saudável. Na verdade, a desidratação crônica de baixo grau é uma das causas mais comuns de cálculos renais.

A disfunção renal também está ligada a vários problemas graves de saúde, incluindo diabetes tipo 2, hipertensão (pressão alta) e doenças cardíacas. Os sintomas comuns de problemas renais incluem:

  • Micção frequente

  • Problemas de micção

  • Dor ou sensação de queimação ao urinar

  • Sede crônica

O bom funcionamento dos rins é fundamental para manter a homeostase do organismo, a começar pela composição do sangue.

Por exemplo, os rins são responsáveis ​​por manter o nível adequado de pH e equilíbrio eletrolítico (a proporção de sódio, potássio e fosfatos). Eles também produzem hormônios que produzem glóbulos vermelhos e ajudam a regular a pressão sanguínea.


Consumir refrigerantes, enquanto se exercita em dias quentes, é uma PÉSSIMA ideia.

A alimentação pode ter grande influência na saúde renal, já que o açúcar e o excesso de proteína são os principais componentes alimentares responsáveis ​​por causar problemas quando consumidos de forma regular.

Nos Estados Unidos, a maioria das pessoas consome três a cinco vezes mais proteína do que precisa e duas a quatro vezes (ou mais) os níveis de frutose considerados seguros.

Por si só, esses dois fatores dietéticos, especialmente quando combinados, podem causar estresse significativo nos rins, além de promover doenças renais e cálculos renais.

Pesquisas recentes demonstram os efeitos prejudiciais agudos que os refrigerantes podem ter na função renal, apenas quando consumidos para saciar a sede durante um treino em um dia quente.

O estudo, publicado no American Journal of Physiology — Regulatory, Integrative and Comparative Physiology, descobriu que os refrigerantes causavam desidratação e aumentavam os marcadores de doença renal quando consumidos após o trabalho manual a 35°C. Conforme relatado pelo portal Science Daily:

"Os voluntários completaram uma sessão de exercícios em uma esteira por 30 minutos, seguida de três atividades diferentes por cinco minutos: levantamento de peso, habilidade e treinamento com martelo e pneu.


Após 45 minutos de exercício, os voluntários descansaram por 15 minutos enquanto bebiam 16 onças (em torno de 473 ml) de água ou refrigerante rico em frutose e cafeína.


Após esse intervalo, eles repetiram o ciclo mais três vezes, totalizando quatro horas. Antes de deixar o laboratório, os voluntários receberam mais de sua bebida designada para beber antes de consumir mais líquidos. O volume foi de 1 litro ou o equivalente a 115% do seu peso corporal perdido através da transpiração, o que for maior."


Temperatura corporal central, frequência cardíaca, pressão arterial, peso corporal e marcadores de dano renal foram medidos antes, imediatamente após e 24 horas após o exercício.

Sete dias depois, os voluntários que tinham idade média de 24 anos foram submetidos novamente ao mesmo teste, mas mudaram de grupo; portanto, quem recebeu refrigerante pela primeira vez recebeu água e vice-versa.

Quando os voluntários beberam refrigerante, 75% apresentaram níveis elevados de creatinina no sangue, um marcador de dano renal. Apenas 8% dos participantes no teste de água tinham níveis elevados de creatinina. Quando os voluntários bebiam refrigerantes, eles também relataram o seguinte:

  • Menor taxa de filtração glomerular, outro marcador de dano renal

  • Aumento do nível de ácido úrico

  • desidratação moderada

  • Aumento dos níveis de vasopressina, um hormônio antidiurético que aumenta a pressão arterial

Como os autores notaram:

"Consumir refrigerante durante e após o exercício, em clima quente, não pode hidratar. Portanto, consumir refrigerante, como bebida de reidratação durante o exercício, em clima quente pode não ser o ideal ...


Esses achados indicam que o consumo de refrigerante durante e após o exercício, em temperatura elevada, pode induzir lesão renal aguda [LRA], provavelmente por mecanismos mediados pela vasopressina.”


Como o exercício em um clima quente pode afetar a saúde dos rins?

Embora os refrigerantes que normalmente contêm grandes quantidades de xarope de milho com alto teor de frutose e cafeína sejam prejudiciais a qualquer momento, eles também podem ser particularmente prejudiciais em climas quentes.

A razão é porque quando você se exercita em clima quente, seu corpo regula a pressão sanguínea e conserva a água reduzindo o fluxo sanguíneo para os rins. Uma diminuição repentina e pronunciada no fluxo sanguíneo através dos rins pode causar danos renais agudos, porque a quantidade de oxigênio fornecida aos rins pode diminuir.

Pesquisas anteriores mostraram que o exercício em altas temperaturas pode aumentar os biomarcadores de lesão renal aguda, mesmo sem a adição de refrigerantes. Da mesma forma, bebidas com alto teor de frutose podem aumentar o risco de lesão renal aguda quando desidratadas.

Portanto, é lógico que a combinação de ambos: exercícios em alta temperatura e consumo de refrigerantes, impeçam o funcionamento saudável dos rins e aumentem o risco de danos renais agudos.

Como comentário adicional, sabemos que os analgésicos podem danificar os rins quando tomados em excesso ou por longos períodos de tempo. Isso inclui aspirina, anti-inflamatórios, ibuprofeno, naproxeno e acetaminofeno, especialmente quando tomados em combinação com álcool, mesmo que a quantidade de álcool seja pequena.

A pesquisa mostrou que combinar álcool com acetaminofeno pode aumentar o risco de danos nos rins em 123%, em comparação com tomá-los sozinhos.

Por isso, misturar refrigerante, álcool e analgésicos ao fazer uma atividade no quintal em uma tarde quente pode ser uma das combinações mais perigosas que se possa imaginar.


O que é lesão renal aguda e quais são suas causas?


A lesão renal aguda ocorre quando há uma diminuição repentina do fluxo sanguíneo, o que pode causar insuficiência renal. Na verdade, esses dois termos são sinônimos. Isso pode ser causado por desidratação grave, acidente, cirurgia e até mesmo uma overdose cumulativa (ou overdose intencional) de acetaminofeno, ibuprofeno ou naproxeno.

A inflamação crônica, como a que ocorre em pessoas com diabetes ou em pacientes com doenças cardíacas, infecções (como sepse), bloqueios ou reações alérgicas, também podem causar insuficiência renal.

Cerca de metade das pessoas com lesão renal aguda poderiam ser tratadas sem danos permanentes; o resto provavelmente exigirá um transplante de rim ou diálise, o que significa que uma máquina filtrará o sangue. Os sintomas podem incluir dor, fraqueza, tontura, perda de apetite, náusea, vômito, sede extrema e diminuição da micção.


Chaves alimentares para proteger sua função renal

Para proteger sua função renal, você deve considerar as seguintes medidas:


Restrinja a frutose a 25 gramas por dia (cerca de 6 colheres de chá) ou menos, especialmente se você for resistente à insulina/leptina.

Restrinja a proteína com base nas necessidades do seu corpo. A ingestão ideal de proteína é provavelmente cerca de meio grama de proteína por libra (1 grama de proteína por quilograma) de massa corporal magra, não de peso corporal total. Com base nesta fórmula, você deve primeiro determinar sua massa corporal magra. Para fazer isso, você precisa subtrair 100 do seu percentual de gordura corporal. Por exemplo, se você tem 30% de gordura corporal, então você tem 70% de massa corporal magra. Você então multiplica essa porcentagem (neste caso, 0,7) pelo seu peso atual, para obter sua massa corporal magra em libras ou quilos.

Por exemplo, se você pesa 170 libras, isso seria 0,7 vezes 170, o que equivale a 119 libras de massa corporal magra. Usando a regra de "0,5 gramas de proteína", você precisaria de 59,5 ou pouco menos de 60 gramas de proteína por dia.

A American Kidney Foundation recomenda restringir a proteína a um máximo de 50 gramas se você tiver doença renal.

Beba água pura e limpa. Simplesmente trocar bebidas adoçadas como refrigerantes e sucos de frutas por água pura pode ajudar muito a melhorar a função renal e a saúde geral.

A melhor maneira de determinar sua necessidade de água é observando a cor de sua urina (que deve ser amarelo claro) e a frequência de suas visitas ao banheiro (idealmente cerca de 7 a 8 vezes ao dia).

Coma muitos vegetais frescos, de preferência orgânicos. Uma das melhores coisas que você pode fazer para beneficiar seus rins é comer de três a quatro porções de frutas e vegetais por dia. Seus rins produzem hormônios que regulam a constrição arterial e venosa, o que pode influenciar sua pressão arterial. Além disso, regulam o volume de sangue que circula. Essas duas funções funcionam em conjunto para manter a pressão arterial dentro dos limites normais. Na verdade, a pressão alta é a segunda principal causa de insuficiência renal. Curiosamente, a pesquisa mostra que simplesmente aumentar a ingestão de vegetais pode reduzir a pressão arterial sistólica em pessoas com doença renal, ainda mais eficaz do que medicamentos para pressão arterial.

Ajustar a ingestão de potássio de acordo com a função renal. Os rins são responsáveis ​​por manter a quantidade adequada de potássio no organismo. Portanto, se eles não funcionarem bem, os níveis de potássio podem subir muito. Portanto, ao avaliar as necessidades de potássio, é importante levar em consideração a função renal.

Se os rins estiverem funcionando bem, a quantidade recomendada de potássio para adultos será em torno de 4.700 mg por dia, que também precisa ser equilibrada com o sódio.

Como regra geral, a proporção de potássio para sódio deve ser de aproximadamente 5:1. A maneira mais fácil de atingir essa proporção é consumindo muitos vegetais frescos, idealmente cultivados organicamente e localmente para garantir o teor ideal de nutrientes.

Este tipo de dieta de alimentos integrais fornecerá naturalmente quantidades muito maiores de potássio em relação ao sódio, enquanto a ingestão de uma dieta de alimentos processados ​​garantirá uma proporção desigual. Se você tem doença renal, deve prestar muita atenção aos seus níveis de potássio. A maioria das pessoas em tratamento para doença renal monitora seus níveis de potássio medindo-os mensalmente, e as dietas com restrição de potássio geralmente sugerem manter a ingestão de potássio em torno de 2.000 mg por dia.

Superalimentos para promover a saúde real

Incluir os seguintes alimentos também pode ajudá-lo a otimizar sua função renal.



Pimentão Vermelho – Baixo teor de potássio, alto teor de vitaminas A, B6, C, ácido fólico e fibras.

Repolho — Baixo teor de potássio, rico em vitaminas C e K, fibras e fitoquímicos que protegem contra os danos dos radicais livres.

Couve-flor — Rica em vitamina C, ácido fólico e fibras.

Alho — Com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticoagulantes.

Cebola — Baixo teor de potássio e alto teor de antioxidantes, especialmente a quercetina, que possui propriedades anti-histamínicas naturais.

Maçã — Rica em fibras, antioxidantes e compostos anti-inflamatórios.

O vinagre de maçã orgânico e cru é útil na prevenção de cálculos renais.

Bagas — Inclui mirtilos, framboesas e morangos.

Cerejas — Ricas em antioxidantes e fitoquímicos.

Uvas vermelhas e roxas — Ricas em antioxidantes; a casca da uva é particularmente rica em resveratrol.

Melancia — Alto teor de água, com propriedades diuréticas que promovem o aumento da produção de urina para eliminar as toxinas.

Suco de limão — Reduz a formação de cálculos renais.

Sementes de Abóbora — Ricas em antioxidantes, vitaminas e minerais, particularmente magnésio, que ajuda a diminuir o risco de cálculos renais.

Couve – Baixo teor de potássio e uma boa fonte de vitaminas A e C.

Batata-doce — Rico em beta-caroteno e vitaminas A e C, bem como uma excelente fonte de vitamina B6, potássio e fibras.

Alimentos que ajudam a desintoxicar os rins

Existem algumas ervas que também possuem propriedades de limpeza dos rins, como as seguintes:


Gengibre – Purifica os níveis de toxinas no sangue e nos rins.

Cúrcuma — Tem propriedades anti-sépticas e anti-inflamatórias que ajudam a prevenir e tratar inflamações e infecções renais.

Dente-de-leão — Diurético natural que pode fortalecer os rins e aliviar problemas do trato urinário.

Urtiga — Diurético natural que pode purificar o sangue e tratar infecções do trato urinário; Também é rico em ferro, e é por isso que é benéfico para a produção de sangue. Você deve evitá-lo se já tiver níveis elevados de ferro.

Raiz de Marshmallow – Diurético natural que pode tratar infecções do trato urinário, cálculos renais e infecções da bexiga.

Zimbro — Melhora a função renal e pode tratar infecções do trato urinário, bem como pedras nos rins e na bexiga.

Contra-indicações: Evite bagas de zimbro se tiver uma infecção renal ou estiver grávida. Além disso, você não deve tomá-lo continuamente por mais de quatro semanas.

Red Clover — Diurético para estimular a remoção de resíduos dos rins.

Chanca piedra — Usado na América do Sul para quebrar cálculos renais (seu nome significa "quebra-pedras" em espanhol).

Raiz de hortênsia — remédio nativo americano para o tratamento de cálculos renais.

Raiz de Uva ursi — Pode tratar problemas urinários e da vesícula biliar.

Erva daninha Joe-Pye — remédio indiano para promover a saúde dos rins e do trato urinário.

Goldenrod Root — Remédio nativo americano tradicionalmente usado para melhorar a saúde dos rins e do trato urinário.

Fontes e Referências

Comentários


bottom of page