• Ronaldo Gorga

Como evitar cosméticos que desregulam o sistema endócrino


Mudar de cosméticos pode reduzir a exposição a substâncias químicas que causam distúrbios hormonais

Os pesquisadores partiram da premissa de que os produtos de cuidados pessoais são uma fonte potencial de exposição a substâncias químicas desreguladoras endócrinas, como parabenos, triclosan, ftalatos e fenóis. Eles avaliaram 100 mulheres jovens em um estudo de intervenção de pesquisa comunitária para descobrir se o uso de produtos com níveis mais baixos dessas substâncias químicas poderia resultar em menores concentrações na urina.

Os pesquisadores mediram amostras de urina para metabólitos de ftalato, parabenos, triclosan e benzofenona-3 (BP-3) antes e depois da intervenção, usando cromatografia líquida e espectrometria de massa em tandem. Eles descobriram que mais de 90% das participantes tinham níveis detectáveis de ftalatos, parabenos e BP-3 antes de usar os produtos substitutos.

As participantes usaram por três dias cosméticos alternativos, rotulados como livres de parabenos e ftalatos. Posteriormente, as concentrações urinárias diminuíram mais de 40% para os parabenos, mais de 27% para monoetil ftalatos e mais de 35% para o triclosan.

No entanto, aumentos de butil e etil parabenos foram detectados em quase metade dos participantes. Os autores sugeriram que estes podem ter sido contaminantes nos cosméticos ou ingredientes não rotulados, que eles foram incapazes de garantir serem livres de parabenos.

O estudo demonstrou que mesmo uma pequena pausa no uso de certos tipos de maquiagem, xampus e loções pode levar a uma queda significativa das substâncias químicas que desregulam o sistema hormonal. Embora o estudo não inclua homens, é importante observar que cremes e loções para barbear, pós-barba e outros itens de cuidados pessoais usados por homens, também podem conter essas substâncias químicas.

Embora os autores tenham sugerido que pudesse haver potenciais contaminantes nos produtos de cuidados pessoais utilizados no estudo, os resultados também podem sugerir que os possíveis fabricantes estejam usando ingredientes não incluídos no rótulo, ocultados sob a categoria de “segredos comerciais”.

Seus cosméticos podem conter toxinas secretas

Embora esse estudo tenha avaliado a redução na exposição a parabenos, ftalatos e BP-3, é importante lembrar que seus produtos de cuidados pessoais podem conter uma variedade de substâncias químicas e outras toxinas perigosas para sua saúde.

Em um relatório de Defesa Ambiental, os pesquisadores compartilharam resultados de testes de 49 itens de maquiagem diferentes, encontrando séria contaminação por metais pesados em quase todos os produtos. A contaminação incluiu chumbo, berílio, tálio, cádmio e arsênico.

Embora o FDA tenha definido o que eles consideram limites seguros para muitas das substâncias químicas encontradas em produtos de cuidados pessoais, a preocupação não é com a exposição a um produto de único uso. Como demonstrado pelo número de produtos de cuidados pessoais que as mulheres usam diariamente, a exposição cumulativa pode facilmente sobrecarregar seu corpo e contribuir para uma ampla gama de problemas de saúde.

Várias substâncias químicas tóxicas estão incluídas na categoria geral de “fragrância”. Essas combinações são protegidas por uma brecha no Fair Packaging and Labeling Act, que deveria garantir que os consumidores tivessem informações suficientes para fazer escolhas informadas. No entanto, as empresas não são obrigadas a divulgar certos “segredos comerciais”, nos quais as fragrâncias e os ingredientes aromatizantes se enquadram.

Embora a lista de substâncias químicas tóxicas comumente encontradas em produtos para cuidados pessoais seja longa, algumas substâncias químicas perigosas a serem evitadas nos rótulos dos produtos incluem:

  • Lauril sulfato de sódio — Surfactante encontrado em quase 90% dos produtos de higiene pessoal e de limpeza.

  • Conservantes liberadores de formaldeído — Usados para inibir o desenvolvimento de bactérias, mas que sabe-se que pode causar câncer em seres humanos.

  • Tolueno — Petroquímico usado como solvente em esmaltes, produtos para unhas e tinturas de cabelos.

Os riscos associados aos parabenos afetam homens e mulheres

Visto que os produtos de cuidados pessoais contêm uma combinação diversificada de substâncias químicas e que não é ético fazer experiências em seres humanos, é quase impossível demonstrar cientificamente uma relação de causa e efeito específicos. Por esse motivo, muitas experiências são feitas usando cobaias animais.

No entanto, desreguladores hormonais como os parabenos, que afetam o metabolismo do estrogênio e outros hormônios, criam um desequilíbrio no sistema hormonal. Como seus hormônios são responsáveis pelo gerenciamento e regulação de quase todos os sistemas do seu corpo, esse efeito pode ter uma ampla gama de consequências.

Parabenos são produtos químicos artificiais usados como conservantes em produtos de cuidados pessoais, alimentos, produtos farmacêuticos e bebidas. Os fabricantes frequentemente utilizam mais de um parabeno nos produtos, o que só aumenta sua exposição e o efeito cumulativo que eles podem ter em seu corpo.

Estudos relacionando a ação dos parabenos na expressão dos receptores de estrogênio e progesterona, e em células não cancerígenas, descobriram que o metilparabeno aumenta a proliferação de tumores no câncer de mama e demonstraram que os receptores do fator de crescimento epidérmico humano aumentam a capacidade do butilparabeno de estimular a proliferação do câncer de mama.

O metilparabeno diminui a proliferação de queratinócitos e promove o envelhecimento da pele. Os parabenos também têm um efeito adverso na vitalidade do esperma e prejudicam os últimos estágios da espermatogênese em animais.

Testes de laboratório realizados em 315 pacientes do sexo masculino em uma clínica de fertilidade descobriram que aqueles expostos a parabenos tinham níveis mais baixos de testosterona, além de mais espermatozoides com anomalias ou movimento lento.

O estudo sugere que esses ingredientes podem contribuir para um número crescente de homens com infertilidade. Aqueles que tiveram uma baixa concentração de parabenos apresentaram uma proporção menor de espermatozoides com morfologia anormal, enquanto aqueles com níveis mais altos apresentaram danos ao DNA no esperma, menor motilidade e maior proporção de espermatozoides anômalos.

Considere as substâncias químicas que você pode inalar ou tocar

Embora essas substâncias químicas tóxicas sejam normalmente encontradas em produtos para cuidados pessoais, elas também são encontradas em produtos de limpeza, afetando sua saúde e o meio ambiente. Fazer uma mudança simples para alternativas mais seguras, usando ingredientes que você já deve ter em casa, pode ajudar a reduzir sua exposição e o impacto prejudicial ao meio ambiente.

Detergentes geralmente contêm ftalatos, e o triclosan é encontrado em muitos sabonetes e produtos antibacterianos vendidos sem receita. Judith Schreiber, Ph.D., cientista-chefe de proteção ambiental do escritório da Procuradoria-Geral de Nova York, afirma que o percloretileno é uma neurotoxina que pode aumentar seu risco de efeitos neurológicos, doenças hepáticas e renais e câncer.

Essa substância química é componente em vários de removedores de manchas, limpadores de carpete e soluções de lavagem a seco. Outro grupo de substâncias químicas conhecidas como compostos quaternários de amônio (quats) são ingredientes padrão em muitas soluções antibacterianas, e são frequentemente encontrados em amaciantes.

O quaternium-15 é provavelmente o mais conhecido dos quats, e sabe-se que é um liberador de formaldeído encontrado em condicionadores de cabelo, produtos para penteados, produtos para barbear e produtos de limpeza doméstica.

Reduza sua exposição a substâncias químicas usando soluções simples

É fundamental monitorar os efeitos adversos relacionados a qualquer composto químico ou produto utilizado. Denuncie à ANVISA qualquer reação adversa que você ou sua família observarem, seja por telefone, on-line ou através de um formulário de denúncia. A indústria de cosméticos não está interessada em adotar regulamentos mais rígidos, o que o deixa encarregado de regular o que você e sua família colocam na pele.

Sua pele é um excelente sistema de administração de medicamentos, de forma que o que você passa no corpo é tão importante quanto o que coloca na boca. É importante lembrar que, embora você possa usar luvas enquanto limpa, nem toda a substância poderá ser removida da superfície depois que você terminar.

Você provavelmente tem muitos dos ingredientes necessários para limpar sua casa de maneira eficiente. Descubra algumas soluções simples no meu artigo "mantenha a casa limpa com produtos de limpeza atóxicos".

Manter um microbioma intestinal saudável também ajudará a se proteger filtrando algumas das toxinas que você ingere — uma proteção que você não recebe quando são absorvidas pela pele.

Encontre receitas para fazer seus próprios produtos de banho e de limpeza caseiros, sem subprodutos e conservantes adicionais. óleo de coco é um hidratante saudável para a pele, que possui propriedades antibacterianas naturais.

O Environmental Working Group possui um extenso banco de dados para ajudá-lo a encontrar produtos de cuidados pessoais livres de substâncias químicas potencialmente perigosas. Os produtos com o selo "100% orgânico" são as apostas mais seguras se você quiser evitar ingredientes potencialmente tóxicos. Esteja ciente de que os produtos rotulados como "naturais" ainda podem conter substâncias químicas nocivas. Portanto, é aconselhável sempre verificar a lista completa de ingredientes.