• Ronaldo Gorga

Benefícios do cacau



Uma das árvores mais populares do planeta é o cacau, a espécie vegetal da qual derivam o cacau – e o chocolate. Embora seja comum pensar que cacau e cacau são a mesma coisa, eles não são. O cacau é a árvore, enquanto o cacau é o produto feito dela (não confundir com a coca, o arbusto perene do qual a cocaína é feita). As partes comestíveis da vagem de cacau e os grãos de cacau dentro delas podem ser processadas para fazer cacau em pó, manteiga de cacau ou chocolate depois de secas e fermentadas.

Como os grãos de cacau eram valorizados por suas propriedades medicinais e afrodisíacas, eram trocados como moeda entre as civilizações sul americanas. O boato é que Casanova gostava deles.

A primeira evidência conhecida de que o cacau era processado para consumo remonta a 1400 aC, recolhida a partir das descobertas de seu resíduo em cerâmica escavada em Honduras, possivelmente para fermentar a polpa para fazer uma bebida para adultos. Suas fórmulas adoçadas datam de quando os europeus chegaram ao Novo Mundo e experimentaram o cacau na forma líquida. Embora tenham odiado no início, alguém descobriu que adicionar mel o tornava saboroso. No século 17, esta forma de chocolate era a última moda em toda a Europa e, posteriormente, no mundo. Ainda é.


Benefícios para a saúde do cacau

Tem havido bastante discussão sobre radicais livres e antioxidantes, mas alguns não têm certeza do que esses termos significam para nossa saúde. A exposição ao sol, fumaça de cigarro, poluição e produtos químicos tóxicos como herbicidas químicos e alimentos não saudáveis ​​podem desencadear a atividade dos radicais livres no corpo, mas também podem ser causados ​​por fatores como estresse, que danificam os tecidos saudáveis.

Antioxidantes nos alimentos que você come revertem esse processo, ajudando a combater doenças eliminando os radicais livres nocivos.

É aí que entra o cacau. O pó de cacau cru contém mais de 300 compostos químicos diferentes e quase quatro vezes o poder antioxidante do chocolate amargo médio – mais de 20 vezes o dos mirtilos. Proteínas, cálcio, carotenóides, tiamina, riboflavina, magnésio, enxofre, flavonóides, antioxidantes e ácidos graxos essenciais também estão presentes.


A mistura precisa de todos esses elementos combinados serve para aumentar os fitoquímicos naturais que têm benefícios incríveis em todo o corpo, como níveis reduzidos de colesterol LDL, melhora da função cardíaca e redução do risco de câncer.


Feniletilamina, ou PEA, é um deles. Diz-se que grandes doses desse composto são liberadas no cérebro quando somos atraídos por alguém, mas substâncias químicas naturais para aliviar a dor e o estresse, conhecidas como neurotransmissores, estimulam a liberação de endorfinas para ajudar a nos manter alertas e focados.


Estudos mostraram que o chocolate afeta as emoções e o humor aumentando os níveis de serotonina, o que explica por que o chocolate é muitas vezes desejado quando se está triste. Há também um neurotransmissor chamado teobromina, um estimulante suave que às vezes é usado como tratamento para a depressão. Libera o composto anandamida, que produz sensações eufóricas únicas de relaxamento e bem-estar.


Para quem acha que chocolate é ruim (tem que ser se for gostoso, né?), é bom saber: só tem um grama de açúcar em meia xícara de cacau cru. É o que você faz com ele que faz a diferença. Infelizmente, o alto calor do processamento e refino para produzir os diferentes tipos de cacau ou chocolate é o que prejudica os micronutrientes dos grãos de cacau, juntamente com seus benefícios à saúde.


Além disso, aditivos como xarope de milho rico em frutose (HFCS), açúcar e óleos parcialmente hidrogenados limitam a quantidade de cacau, e os produtos lácteos bloqueiam a absorção de seus antioxidantes. barra de chocolate não lhe dará muitos.


Estudos realizados sobre o cacau

De acordo com um estudo, chá preto, chá verde, vinho tinto e cacau são ricos em fitoquímicos fenólicos, como teaflavina, galato de epigalocatequina, resveratrol e pocianidina, respectivamente, que têm sido intensamente investigados devido ao seu possível papel como drogas quimiopreventivas à base de em suas capacidades antioxidantes. Descobriu-se que o cacau contém níveis muito mais altos de fenólicos totais e possui a maior atividade antioxidante. Esses resultados sugerem que o cacau é mais benéfico para a saúde do que chás e vinho tinto.

Outro estudo mostrou que, embora comer muitas frutas e vegetais estivesse associado a um menor risco de doença cardíaca coronária e derrame, uma relação semelhante também foi encontrada com o cacau, um “alimento rico em polifenóis naturais”.


Estudos de intervenção sugeriram fortemente que o cacau tem vários efeitos benéficos na saúde cardiovascular, como redução da pressão arterial, melhora da função vascular e do metabolismo da glicose e redução da agregação e adesão plaquetária. Mecanismos através dos quais o cacau foi pensado para exacerbar seus efeitos positivos foram propostos, incluindo a ativação da sintase do óxido nitroso, aumento da biodisponibilidade do óxido nítrico, bem como propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.





Referências: