top of page
  • Foto do escritorRonaldo Gorga

A importância das enzimas para a saúde.


Como o próprio nome indica, as enzimas digestivas são importantes para uma ótima digestão e absorção de nutrientes. Mas essas não são todas as suas características e benefícios. As enzimas são realmente necessárias para a maioria das funções celulares e processos biológicos.

Enzimas, proteínas compostas de aminoácidos, são produzidas pelo seu corpo para catalisar funções que normalmente não ocorreriam à temperatura corporal, tornando-as vitais para uma boa saúde e longevidade.

A ciência identificou mais de 3.000 enzimas diferentes, embora ainda não tenhamos investigado profundamente. Alguns acreditam que podemos ter entre 50.000 e 70.000 enzimas em nossos corpos.

Cada órgão tem seu próprio conjunto de enzimas e cada enzima tem uma função diferente. Em essência, eles agem como uma chave-mestra para abrir qualquer fechadura específica. Nesta analogia, as fechaduras são reações bioquímicas.


As enzimas não só ajudam na digestão

Ao longo dos anos, os pesquisadores descobriram enzimas para tudo, desde aumentar a resistência atlética até otimizar a digestão e absorção de nutrientes e enzimas para tratar o câncer.

Segundo alguns pesquisadores, a preservação das enzimas é um aspecto importante para a longevidade, já que os jovens apresentam níveis muito mais elevados do que os adultos.

Por exemplo, adultos jovens têm cerca de 30 vezes mais amilase na saliva do que pessoas de 69 anos, e pessoas de 27 anos têm o dobro da lipase que pessoas de 77 anos. Pessoas com doenças crônicas também tendem a ter níveis muito mais baixos de enzimas.

Felizmente, otimizar suas enzimas é tão fácil quanto comer muitos alimentos frescos, crus e/ou fermentados. Brotos ou brotos são uma fonte particularmente excelente de enzimas vivas.

O jejum também foi mostrado para proteger as enzimas. Se você não comer, não produzirá enzimas digestivas, que por sua vez desencadearão a produção e a atividade de enzimas metabólicas para proliferar.


Tipos de enzimas e suas funções

As enzimas podem ser divididas nas seguintes categorias:

  • Enzimas digestivas, envolvidas na digestão; Eles quebram os alimentos em nutrientes e removem os resíduos. As enzimas digestivas são extracelulares, o que significa que são encontradas fora de suas células.

  • Existem 8 enzimas digestivas principais, cada uma com um propósito diferente para ajudar a quebrar diferentes tipos de alimentos:

Proteasa: Proteína digestiva

Maltase: Para converter açúcares complexos de grãos em glicose

Amilase: Para digerir carboidratos

Lactase: Para digerir o açúcar (lactose) em produtos lácteos

Lipase: Para digerir gorduras. Se você tem síndrome do intestino irritável, fibrose cística, doença celíaca, sem disfunção da vesícula biliar ou da vesícula biliar e/ou obesidade, você pode se beneficiar de ter níveis mais altos de lipase, além de água fluoretada pode diminuir a produção de lipase e protease

Fitase: Ajuda na digestão geral, especialmente na produção de vitaminas do complexo B

Celulose: Para digerir a fibra

Sucrase: Para digerir a maioria dos açúcares

  • Enzimas metabólicas, envolvidas na produção de energia e desintoxicação. As enzimas metabólicas são intracelulares, o que significa que são encontradas dentro de suas células, onde ajudam as células a desempenhar uma variedade de funções relacionadas à sua reprodução e recuperação.

  • Enzimas alimentares, presentes em alimentos crus, não cozidos/não processados ​​e/ou suplementos. Suplementos de enzimas alimentares são de plantas ou animais.

Por exemplo, as enzimas podem ser de certos fungos e bactérias, alimentos crus, como a bromelina do abacaxi e a papaína do mamão. Suplementos de enzimas pancreáticas, como pepsina e tripsina, são obtidos do estômago, intestino delgado e pâncreas de animais.


As pessoas que podem se beneficiar de comer mais alimentos crus e/ou tomar um suplemento enzimático dietético incluem aquelas que:


  • Eles comem muitos alimentos processados ​​aquecidos no micro-ondas. Quanto mais alimentos crus você come, menos carga seu corpo tem para produzir as enzimas de que precisa, não apenas para a digestão, mas para praticamente todas as funções. Enzimas que não são usadas na digestão estão disponíveis para ajudá-lo em outros processos fisiológicos importantes.

  • Pessoas com mais de 30 anos. Estudos mostram que a produção de enzimas diminui 13% a cada 10 anos. Então, aos 40 anos, sua produção de enzimas pode ser 25% menor do que quando você era criança.

Aos 70 anos, você pode produzir apenas um terço das enzimas necessárias para uma boa saúde.

Para piorar a situação, à medida que seu estômago envelhece, ele produz menos ácido clorídrico. O ácido clorídrico é essencial para ativar as enzimas digestivas do estômago.

Quando a digestão de alimentos está em alta demanda, os suprimentos de enzimas são esgotados e sua capacidade de produzir enzimas pode ser prejudicada.

  • Aqueles que têm problemas de toxicidade.

  • Pessoas com doenças crônicas, incluindo aquelas com problemas digestivos, desequilíbrios das glândulas endócrinas, níveis elevados de açúcar no sangue, diabetes, obesidade, colesterol alto, problemas relacionados ao estresse, artrite e outras condições inflamatórias.

Suplementos contendo amilase, lipase e proteases (enzimas que ajudam a quebrar amidos, gorduras e proteínas, respectivamente) foram encontrados para beneficiar pessoas com sensibilidade alimentar.

Para uma digestão ideal, você precisa de todos os três. Outras enzimas digestivas pouco compreendidas incluem ribonuclease e desoxirribonuclease-I, que digerem ácidos nucleicos e DNA/nuclease, respectivamente.


Enzimas e coenzimas desempenham papéis importantes na saúde

As enzimas são catalisadores que causam reações bioquímicas. Em outras palavras, eles ajudam a acelerar as reações, às vezes para um número impressionante de vários milhões de reações por segundo.

Desta forma, as enzimas reduzem significativamente a quantidade de energia necessária para que uma reação ocorra. E sem eles, algumas reações nem aconteceriam. Aqui está um exemplo de como seu corpo requer enzimas para realizar certas atividades:

Produção de energia

Eliminação de Resíduos Tóxicos

Absorção de oxigênio

Dissolução de coágulos sanguíneos

Combate infecções e cura feridas

Digestão de carboidratos, proteínas e gorduras, além de regular os níveis de colesterol e triglicerídeos

Diminuir a inflamação

Regular hormônios

Funcionamento do RNA/DNA

Regulação do impulso nervoso

Leve nutrientes para suas células

Retardar o processo de envelhecimento

Por mais importantes que sejam, as enzimas não funcionam sozinhas. Eles dependem de outros elementos para realizar suas tarefas, como certas vitaminas e minerais. Esses elementos são chamados de coenzimas.

Uma das coenzimas mais conhecidas é a coenzima Q10 (CoQ10), que se encontra nas mitocôndrias (centro de carga) das suas células, onde está envolvida na produção de ATP, uma importante fonte de energia. Outro exemplo é o magnésio, que participa de mais de 300 reações enzimáticas.

No entanto, enquanto seu corpo produz suas próprias enzimas, essa capacidade começa a diminuir assim que você chega aos 20 anos. A situação é agravada se você comer principalmente alimentos processados, uma vez que as enzimas viáveis ​​são encontradas apenas em alimentos frescos.

Esta é outra razão pela qual a dieta tem um tremendo impacto no risco de doenças, pois o desequilíbrio ou deficiência enzimática pode aumentar significativamente o risco de câncer e doenças autoimunes.


Como aumentar naturalmente seus níveis de enzimas


Existem quatro maneiras de aumentar naturalmente seus níveis de enzimas:

  • Aumente a ingestão de alimentos crus e vivos

  • Velozes

  • Mastigue bem os alimentos

  • Evitar mascar Chiclete

A melhor maneira de obter enzimas em seu corpo é comer pelo menos 75% de sua comida crua. Para muitas pessoas, isso pode ser um verdadeiro desafio. Embora todos os alimentos crus contenham enzimas, os alimentos com maior teor de enzimas são os brotos (sementes e leguminosas).


O processo de germinação aumenta muito o teor de enzimas nesses alimentos. Além dos brotos, outros alimentos ricos em enzimas incluem:

Mamão, abacaxi, manga, kiwi e uvas

Mel cru (as enzimas na verdade vemos na saliva da abelha)

Azeite extra virgem

Carne não processada e laticínios

Abacate

Pólen de abelha

​Azeite de coco

Molho de peixe e outros produtos de peixe fermentados

Ao comer esses tipos de alimentos, você fornecerá ao seu corpo os aminoácidos e cofatores enzimáticos necessários para aumentar sua própria produção de enzimas naturais.


Outra maneira de reduzir a demanda por enzimas é reduzir a ingestão de calorias. Você sabia que a pessoa média gasta 80% de sua energia disponível para digerir seus alimentos?


Ao reduzir sua ingestão geral, bem como introduzir mais alimentos vivos, você diminuirá sua necessidade de enzimas digestivas, permitindo que seu corpo use a energia para a produção de enzimas metabólicas. Isso nos leva ao tópico da mastigação.


Além do prazer estético de comer sem pressa, existem importantes razões fisiológicas para mastigar corretamente os alimentos.


A mastigação estimula a produção de saliva e, quanto mais você mastiga a comida, mais tempo as enzimas salivares precisam trabalhar na boca, o que diminui a carga de trabalho no estômago e no intestino delgado.


Esta também é outra razão pela qual eu recomendo evitar goma de mascar. Mascar chiclete faz seu cérebro pensar que está digerindo algo, então ele se apressa para produzir enzimas digestivas que você realmente não precisa.


Suplemento de enzimas digestivas


Se você sofre de inchaço ocasional, desconforto abdominal menor e/ou constipação ocasional e suspeita que sua produção de enzimas está baixa, pode ser sábio considerar tomar um suplemento de enzimas digestivas além de comer mais alimentos crus.


Observe que as enzimas digestivas devem ser ingeridas com a comida, enquanto as enzimas sistêmicas, que são por outros motivos de saúde, devem ser ingeridas após a refeição (consulte a próxima seção). Existem centenas de enzimas digestivas no mercado.


Idealmente, você deve procurar uma fórmula enzimática com as seguintes características:

  • Deve conter uma mistura de diferentes tipos de enzimas para ajudar a digerir todos os diferentes componentes de sua dieta (incluindo lipase, protease e amilase)

  • Os ingredientes devem ser de alta qualidade, naturais e sem alérgenos ou aditivos

  • O rótulo do suplemento deve listar a potência enzimática de cada ingrediente, não apenas seu peso

  • Deve ser fabricado por uma empresa respeitável com rigoroso controle de qualidade e análise de potência.

O uso de enzimas sistêmicas pode melhorar sua saúde


Além da suplementação de enzimas digestivas, as enzimas orais podem ser usadas sistemicamente. Isso requer tomá-los com o estômago vazio entre as refeições, para que possam ser absorvidos pelo intestino para a corrente sanguínea, onde suas células podem usá-los metabolicamente para remover resíduos e acúmulo de resíduos metabólicos.


No entanto, obter enzimas do trato digestivo para a corrente sanguínea não é uma tarefa tão fácil quanto parece. As enzimas são muito suscetíveis à desnaturação e precisam de ajuda para sobreviver ao ambiente altamente ácido no estômago. Por esse motivo, eles geralmente são "revestidos entéricos" para ajudá-los a sobreviver à jornada pelo trato digestivo.


Enzimas orais para uso sistêmico têm sido usadas para tratar problemas de lesões esportivas a artrite, doenças cardíacas e câncer, principalmente em países europeus. Mas a maior parte da pesquisa foi publicada em periódicos em outros idiomas além do inglês.

Nos Estados Unidos, o uso sistêmico ainda está em sua infância. Observe que, para que as enzimas sejam usadas de forma consistente, elas devem ser tomadas com o estômago vazio. Caso contrário, seu corpo os usará para digerir sua comida, em vez de serem absorvidos pelo sangue, onde deveriam fazer seu trabalho.

- Fontes e Referências

댓글


bottom of page